Newsletters




RSS 2.0 ACG

ATUALIDADE

medida CONVERTE+

Exmo.(s) Sr.(s)

Com a publicação da Portaria n.º 323/2019, de 19 de setembro, que cria a medida CONVERTE+, as entidades empregadoras passam a ter acesso a um apoio financeiro pela conversão de contratos de trabalho a termo em contratos de trabalho sem termo.

Este apoio financeiro, de carácter transitório, tem o valor de 4 vezes a remuneração base mensal prevista no contrato de trabalho sem termo, até ao limite de € 3.050,32 (7 vezes o IAS).

O apoio pode ainda ser majorado quando a conversão for relativa a um contrato:

- Celebrado com trabalhadores com dificuldades particulares de acesso ao emprego (por exemplo: pessoa com deficiência e incapacidade);

- Relativo a posto de trabalho localizado em território economicamente desfavorecido;

- Celebrado com trabalhador do sexo sub-representado em determinada profissão.

Com as majorações, que são cumuláveis entre si, o valor do apoio pode atingir o máximo de € 4.575,48.

As candidaturas estão abertas desde as 9h do dia 20 de setembro até às 18h do dia 31 de dezembro e devem ser submetidas pelas entidades empregadoras através do portal iefponline, usando a sua área de gestão.

São elegíveis os contratos de trabalho a termo (certo ou incerto), que tenham sido celebrados antes da data de abertura das candidaturas e cuja conversão ocorra a partir do dia 21 de setembro de 2019, inclusive.

Antes de se candidatar, consulte a página Apoios à contratação disponível no portal do IEFP e verifique as regras de acesso a esta medida e respetivas obrigações, nomeadamente o Aviso de Abertura de Candidaturas .

PESQUISA

Autenticação

Visualizações de conteúdos : 615302
APRESENTAÇÃO Tecido Empresarial

SONDAGEM "O INTERIOR"

AS PESSOAS ACREDITAM NA REVITALIZAÇÃO DA ACG

O jornal “O Interior”, um credível e importante órgão de comunicação da nossa região, iniciou ontem uma sondagem aos seus leitores, questionando sobre a viabilidade da Associação Comercial da Guarda.

É com satisfação que verificamos que, quase 70% das pessoas que responderam ao inquérito até ao momento, acreditam na recuperação da Associação, mesmo antes de ter sido apresentado o Projeto de Revitalização.

Um primeiro resultado que acreditamos traduz a opinião e sentimento dos empresários do distrito e das pessoas, de uma forma geral.

O apoio de todos vai ser fundamental para voltarmos a ter uma Associação Comercial saudável e focada na defesa dos interesses dos seus Associados e da Região.

ointerior

image003-teste

28.06.2019

ACG nas redes sociais

fb

ACG no youtube

youtube

Guia do Investidor

guia_foto

Livro de Reclamações Online


Livro de Reclamações Online
Tecido Empresarial

   

O tecido empresarial da Região Centro é composto sobretudo por microempresas, representando estas quase 96% do total das empresas da Região, com média de 2,9 trabalhadores por empresa.

A Região Centro tem grande parte do seu volume de negócios assente no comércio intracomunitário, com os “fornecimentos industriais não especificados noutras categorias” a serem os principais responsáveis por grande parte do comércio. A exportação e importação de “material de transporte e acessórios” e de “máquinas, outros bens de capital e seus acessórios” merece também relevo. Espanha, França e Alemanha são os principais parceiros comerciais. Angola, EUA e Cabo Verde têm também vindo assumir maior destaque nas transações comerciais.

O distrito da Guarda pertence à província da Beira Alta fazendo dele parte 14 municípios que totalizam aproximadamente 173.831 habitantes, correspondendo a uma taxa de crescimento negativa de 0,44% de 1996 até 2006. A densidade populacional do distrito ronda os 31 habitantes por km2.

Principais setores de atividade

Atualmente, os principais setores industriais presentes na Beira Interior são os têxteis, os componentes para automóveis e a agro-indústria.

O setor secundário, no qual desfila a atividade industrial, agasalha uma colossal importância no desenvolvimento económico do Concelho da Guarda. A existência de empresas de médias e grandes dimensões é fulcral para o crescimento económico de uma região. Estas empresas estão orientadas sobretudo para a área dos têxteis, vestuário, lacticínios, componentes elétricas, construção civil e comércio de automóveis.

O setor terciário tem-se desenvolvido nos últimos anos. Atualmente, a oferta em termos de serviços, principalmente na área do turismo, tem potencializado este setor na Beira Interior. Nas cidades, o comércio a retalho tem-se vindo a expandir, com a abertura de múltiplos supermercados, hipermercados e centros comerciais. Contudo, o comércio tradicional tem entrado em declínio.

Apresentamos o PDF completo


 
ACG - Associação do Comércio e Serviços do Distrito da Guarda © 2012 Todos os direitos reservados | desenvolvido por J.Canão